PreventCast: Recrutamento e Segurança



O PreventCast nasceu com a pretensão de furar a bolha dos setores, e fazer os colaboradores entenderem melhor a participação de cada um, na construção de nossa empresa.


Nossa primeira conversa foi com o supervisor Luciano Ramos, e a assistente Verônica Brito, ambos fazem parte do setor de recrutamento e seleção. O departamento foi escolhido por ser considerado a porta de entrada da HS, recepcionando os futuros colaboradores e passando as primeiras noções da cultura da empresa durante o processo de seleção. A conversa teve seu foco em um dos pilares mais sólidos da HS Prevent: A segurança.


Luciano começou pontuando o quanto trabalhar na HS é engrandecedor, principalmente por ser uma empresa que prioriza a educação de sua equipe, em suas palavras: “Todos os dias aprendo algo novo.” Já Verônica, pontuou que toda sua carreira profissional começou aqui como jovem aprendiz e se mostrou imensamente agradecida pelas oportunidades de crescimento que a instituição proporcionou durante esse período.


Na hora da contratação, a assertividade é a maior preocupação do setor: quais as qualificações necessárias para preenchimento da vaga e, se o candidato se adequará às demandas e a cultura da empresa:


“Na verdade, processo seletivo começa bem antes das entrevistas, mas é quando definimos o perfil esperado para a vaga que o processo realmente tem início”, diz Luciano.

Apesar de todas as cláusulas de segurança presentes nos contratos de admissão, os quais todos os novos HS assinam, o setor conta com uma prevenção de risco própria, introduzindo uma delimitação de perfis antes de qualquer pesquisa ou entrevista. Uma proteção adicional para a empresa e clientes que nos confiam informações, muitas vezes, sensíveis. Ainda reforçando a questão da segurança da informação, questionamos sobre impactos na obtenção do ISO 27001 na área de atuação dos dois: na verdade as mudanças serão mínimas, já que é um setor que já utiliza como base a confidencialidade, a ética e padronização.


A partir da criação do perfil almejado pelo setor, se iniciam as prospecções de currículos. Os analistas e assistentes procuram ativamente em sites e no banco de talentos interno, os CVs que façam coro ao perfil primeiramente idealizado, também realizando as checagens necessárias para confirmar as informações presentes no documento. Na entrevista, são observados primordialmente as competências e dificuldades do candidato. Tudo isso na busca de descobrir profundamente quais as verdadeiras características do entrevistado.


Ser o “perfil ideal” é a vontade da maioria dos candidatos, mas Luciano alerta: “Não existe receita de bolo, depende da vaga!” O perfil ideal também é formado pelo conjunto de características e qualificações desejadas para o cumprimento da função, mas principalmente, o alinhamento a nossos valores como empresa: legalidade, transparência, credibilidade, ética, respeito e adaptabilidade.


Verônica começou na HS como jovem aprendiz, e, após todas as dúvidas advindas do fim do ensino médio, decidiu fazer psicologia para se manter na área e na HS. Começou observando de fora como as entrevistas e testes eram realizados e agora, com um entendimento maior dos processos, já está coordenando entrevistas e aplicando os testes psicológicos. Além dela, vários outros colaboradores que também começaram como aprendizes, seguiram a carreira da psicologia, o que orgulha muito o supervisor Luciano.


Nosso presidente, Hélio Santana, tem uma frase que repete muito para o recrutamento: “Na HS queremos o melhor entre os melhores”. Muito interessado nos processos, é sempre possível ver as conversas entre Hélio e Luciano, alinhando expectativas e fazendo o acompanhamento de alguns processos seletivos. Desde o jovem aprendiz até o superintendente, sempre deixando sua mensagem e passando um pouco de sua visão para a HS Prevent. O setor vê como muito cara para o presidente a entrada de funcionários que além de aprender, também tenham conhecimentos a serem ensinados, quem realmente agregue valor a empresa.


Foi constatada também diminuição na qualidade dos entrevistados durante a pandemia. Antes, era visto uma constante melhora nos perfis selecionados, com cada vez mais pessoas chegando preparadas. Hoje em dia, é algo difícil de se encontrar. Luciano julga que o isolamento foi um dos fatores que agravou essas percepções de despreparo. Uma dica para sacudir a poeira da pandemia é “estudar a empresa, a função, sua área e tudo que conseguir, atitudes como essas costumam ser decisivas na hora da escolha”.


“Onde antes escolhíamos 1 pessoa entre 8, agora são 1 dentre 14”

Finalizamos a nossa conversa perguntando sobre como são os processos em casos de erros de contratação, os responsáveis nos explicaram que a maior parte dessas admissões errôneas vem de uma quebra de expectativas (tanto por parte da empresa quanto do recém-contratado). Caso ocorra, a maior necessidade é a de realinhar as expectativas buscando o melhor entendimento possível entre o funcionário e a empresa.

Posts recentes

Ver tudo