Assertividade: pare de usar essa palavra!






De tempos em tempos surgem novas expressões e jargões em praticamente todos os setores profissionais. Quando fui inserido nesse complexo mundo corporativo e, especificamente, no combate à fraude, me deparei com o jargão “emaésse”, que pouco tempo depois, entendi que seria a sigla MIS (Management Information System). Percebi que a maioria dos profissionais que ostentavam orgulhosamente essa expressão, não sabia o que significava. Quero dedicar essa matéria à palavra “assertividade”, tão na “moda” hoje em dia, principalmente no meio financeiro e corporativo em geral. Na busca constante pelo aumento de produtividade e qualidade dos serviços e produtos, “acertar” o alvo ou, pelo menos, o mais próximo dele, é essencial neste mundo extremamente competitivo e cada vez mais escasso de oportunidades.


Por esse motivo, está se tornando muito comum a utilização dessa palavra para expressar que a “coisa tem que sair certa” ou que “já saiu certa”. Frases do tipo “O sistema tem que ser mais assertivo”, ou “temos que ser assertivos nessa decisão”, ou ainda “essa análise é bem assertiva” são praticamente constantes em reuniões de negócios e reuniões de alinhamento de equipes, por exemplo. Os profissionais gostam de utilizar essa expressão para afirmar que devem acertar mais ou que devem ser mais certeiros. Utilizando os exemplos de frases acima, os significados ficariam, mais ou menos, assim: “O sistema tem que acertar mais”, ou “temos que acertar nessa decisão”, ou ainda “essa análise foi certa ou certeira”.


Você nunca achou estranho a palavra “assertivo” não ser escrito com a letra “C” de certo? Em vez de “assertividade” ser “acertividade”? Definitivamente, essa palavra invadiu as reuniões dos mais variados níveis e propósitos. Dificilmente ela deixa de ser utilizada com uma certa pompa até, muitas vezes com a intensão clara de “elevar” o grau do vocabulário. Então é nesse momento que o “tiro sai pela culatra”.


Tudo bem que dá até para entender a mensagem que está sendo passada, mas a questão é: está correta essa utilização? Para responder a esta questão, precisamos saber o que realmente significa a palavra assertividade. Então vamos recorrer ao bom e velho dicionário.


Segundo alguns dicionários, e eu pesquisei vários disponíveis no Google, assertividade é a característica de uma pessoa que afirma algo com propriedade, segurança, de forma categórica, que assume a responsabilidade do que fala ou afirma, de maneira direta, honesta, clara e apropriada ao contexto, de modo a não violar o direito das outras pessoas. É afirmar algo sem rodeios, mas de forma a não constranger alguém e nem se constranger, a ponto de não deixar dúvidas do que está sendo dito diretamente.


Uma pessoa que fala de forma assertiva tem características contrárias ao prolixo, que costuma dar voltas para concluir o raciocínio do que está falando, se tornando uma pessoa chata, desinteressante, que se prolonga demasiadamente para afirmar algo. O ser humano que fala com assertividade, que pode até não estar correto em suas considerações, por diversos motivos, afinal ninguém é perfeito, consegue passar a ideia de forma que todos (ou a maioria) possam compreender o que está sendo falado, rapidamente e sem dualidades, sem dupla interpretação.


Portanto, assertividade não tem a ver com acerto ou erro, está ligada à nossa maneira de expor e defender nossas posições. Sendo assim, um profissional desse estilo deve ter uma boa comunicação. A grande confusão feita atualmente com a palavra em questão neste texto é que as pessoas associam com a palavra “certo”. Alguém que esteja argumentando de forma assertiva, pode não estar correto, pode estar até equivocado, mas está sendo assertivo, ou seja, pode estar passando sua posição de forma clara, direta e entendível.


Pense num político experiente... Ele pode ter suas convicções, argumentar assertivamente sobre seu plano de governo, de maneira que todos os ouvintes entenderão, e estar completamente fora da necessidade de seus eleitores e do povo em geral. O fato dele ser assertivo significa apenas que sua mensagem está sendo passada da melhor forma e não que ele esteja certo.


Por se tratar de uma característica humana, assertividade não pode ser atribuída a um sistema, processo ou máquina, em tese. Não podemos falar que devemos aumentar a assertividade do aplicativo, a não ser que seja um sistema que elabore frases ou textos explicativos, por exemplo, para que o humano ouça ou leia, e entenda. Não podemos dizer que determinados cálculos sejam mais assertivos, pois cálculos não são frases que afirmam algo.


Por isso afirmo novamente de forma assertiva: deixe de utilizar a palavra “assertividade” e suas variantes!


Uma palavra que realmente pode cumprir esse papel, é “acurácia”, que significa o quanto os resultados estão próximos ao valor de referência. Essa palavra pode ser utilizada para sistemas de IA, por exemplo. Então podemos afirmar “temos que aumentar a acurácia do sistema” em vez de falarmos que devemos “aumentar a assertividade do sistema”.


Outra expressão que podemos utilizar é a própria palavra “certeiro”, e trocar em frases

do tipo “temos que ser assertivos nessa decisão” por “temos que ser certeiros nessa decisão” ou “essa decisão deverá ser certeira”. Claro que a frase não ficará tão “bonitinha” sem a palavra “assertivos”, mas ficará correta.


Por fim, a palavra “precisão” pode ser uma boa saída para essa substituição também. Em vez de dizer “essa análise é muito assertiva”, podemos dizer que é muito precisa.


É claro que novas expressões e novos jargões surgirão no meio corporativo e, talvez, nesse momento você já tenha se lembrado de alguns, mas é sempre bom ficarmos atentos aos significados e à utilização das palavras que utilizamos.


Você se lembra de alguma expressão atual que esteja errada?







Posts recentes

Ver tudo